Por que o Niemeyer não se aposenta?

Você nunca se perguntou? Por que o Oscar Niemeyer, o famoso arquiteto brasileiro, continua trabalhando aos 105 anos de idade?


Poderíamos perguntar diretamente para ele. Eu não pergunto por dois motivos. Não tenho acesso a ele para perguntar e segundo não preciso. Eu sei a resposta.

Ele não para de trabalhar assim como ainda não parou de respirar. Explico. Ele está velhinho, na cadeira de rodas, mas ainda está vivo. E, viver e trabalhar, para ele, e algumas outras pessoas, não são coisas distintas.

Niemeyer não de enxerga vivendo longe de suas pranchetas. Provavelmente seu ritmo de produção não é o de antigamente e ninguém é louco de deixar só em suas mãos um projeto qualquer. Mas ele está lá. Participando com a sua inteligência. E ganhando dinheiro com a sua atividade, beirando os 105 anos.

Sua paixão pelo que faz talvez explique até a sua longevidade. Ele deve se sentir útil e produtivo. Deve ter vontade de viver e trabalhar. Não quer deixar esse mundo!!

Niemeyer é um exemplo para todos nós. Enquanto muitos detestam ir todo o dia ao trabalho e não vem a aposentadoria chegar, lá está ele, beirando os 105 anos, em seu escritório, com seu terninho, produzindo.

Oscar Niemeyer em seu escritório em dezembro de 2011, dia em que completou 104 anos

Muito provavelmente ele nos deixará fisicamente, mas este post não perderá o sentido. Ele fez o que gostava até onde pode. E Fez bem. E todos desejavam e desejam o que  faz. Ele, aos 104 anos, ainda é um produto profissional no mercado de trabalho.

Isso, para mim é empregabilidade total. Uma imagem vale mais do que mil palavras para definir um termo. Fui claro?

Esta entrada foi publicada em Empregabilidade, Vida pessoal. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>