Empregabilidade

Ainda que emprego seja uma das opções para se trabalhar e ter renda, ela ainda é a alternativa remunerada mais utilizada em todo mundo.


Ter o próprio negócio ou ter um emprego é uma questão pessoal, que leva em conta as preferências, características e história familiar de cada um. Há pessoas que não aceitam trabalhar para um patrão e sempre buscam negócios próprios. Outros não se adéquam ao risco inerente de um negócio. Outros dão seqüência aos negócios da família, como empresários.

A empregabilidade tem a ver com aquelas pessoas que escolheram o emprego como forma de sustento.

Antigamente, até lá pelos anos setenta do século XX, emprego era uma coisa estável. Apenas um na vida. talvez dois. Uma vez conseguido uma vaga de trabalho aquilo fazia parte da pessoa e moldava sua vida ou digamos a sua “qualidade de vida”. A pessoa era conhecida como o “fulano” da empresa “tal” e esperava calmante, com renda assegurada e vida estabilizada em um patamar determinado, a aposentadoria. A evolução era lenta, mas assegurada. Todos podiam esperar crescimento profissional e melhoria da “qualidade de vida” dentro da mesma empresa. Bastava esperar. Ser um funcionário do Banespa era um orgulho para qualquer mãe. Mesmo um caixa do Banespa!, Quanta saudade!!!

Hoje, quarenta nos depois acabou-se a estabilidade. O normal é uma pessoa trocar de emprego quatro a cinco vezes na carreira. Eu, com quarenta anos de carreira, troquei quatro vezes de empresa, algumas por opção e outras por acidente de percurso.

A coisa ficou difícil para o “empregado”. Nos dias atuais a instabilidade é a regra. Ninguém está seguro. O emprego não garante mais a “qualidade de vida” estável.

Empregabilidade é um termo novo , que surgiu com a nova economia, caracterizada pela instabilidade. A empregabilidade diz respeito  à capacidade de adequação do profissional às necessidades e dinâmica dos novos mercados de trabalho.

Com o advento das novas tecnologias, globalização da produção, abertura das economias, internacionalização do capital e as constantes mudanças que vêm afetando o ambiente das organizações, surgiu a necessidade de cada profissional estar adaptado e tais fatores e ser eficiente na gestão da sua própria carreira. Remete à capacidade de um profissional estar empregado, mas muito mais do que isso, à capacidade do profissional de ter a sua carreira protegida dos riscos inerentes ao Mercado de Trabalho.

José Augusto Minarelli estabelece, o que ele chama de seis pilares da empregabilidade, que garantem a segurança profissional do indivíduo:

Adequação da profissão à vocação:Para tornar-se um bom profissional e um ser humano realizado, o indivíduo deve conciliar a sua função com a capacidade e paixão pelo que faz.

Competências: para ocupar lugar no mercado de trabalho o profissional tem que desenvolver competências não só em sua própria área técnica, mas também as competências de liderança, relacionamento, política, marketing, vendas e recursos tecnológicos. Ou seja, mesmo para ser empregado um profissional precisa racionar como uma empresa que tem um produto no mercado que precisa ser consumido.

Idoneidade: A idoneidade implica confiança ética, conduta adequada, coreção, respeito e responsabilidade.

Saúde física e mental: Cuidar do equilíbrio, do desgaste exagerado, cuidar do corpo, pessoas saudáveis tem bons relacionamentos e interage de maneira favorável, evitar vícios como fumo, álcool e drogas. Manter sua auto-estima e sua capacidade de realizar projetos.

Reserva financeira e fontes alternativas de aquisição de renda:A perda do emprego significa a perda da entrada de receita. O profissional que se preocupa com a empregabilidade deve fazer uma reserva mês a mês. A reserva é uma defesa, uma garantia que o sustenta e evita decisões erradas em época de crise.

Relacionamentos:Quem conhece pessoas, adquire informações importantes e relevantes, uma pessoa cuidadosa registra seus relacionamentos. Guarda e cuida deles, retorna as ligações, que podem ser oportunidades de trabalho. Em termos profissionais é muito importante ter um networking, uma forma de se manter conectado a sua rede de relacionamentos. Mantenha contato com essas pessoas.

Conclusão: Empregabilidade é um estado profissional onde emprego deixa de ser um problema. Tal estado, conseguido á custa de planejamento e administração da carreira, faz com que o profissional usufrua os ganhos plenos com seu trabalho sem medo da descontinuidade. O profissional, neste caso é um produto procurado no mercado de trabalho.

Esta entrada foi publicada em Empregabilidade. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>